Gato obeso: veja o que fazer

Como saber se um gato está obeso?

Quem vê um gato “gordinho” e não acha uma fofura? Dá vontade de “apertar”, não é?

Mas é preciso ficar atento com esse sobrepeso! Apesar de fofinhos, os gatinhos obesos podem enfrentar problemas sérios de saúde, como doenças, sedentarismo e redução na expectativa de vida.

Não é da natureza (nem do biotipo) dos bichanos estar acima do peso. Assim como seus parentes gigantes, os grandes felinos, o gato precisa ter um peso compatível ao seu tamanho para se manter saudável.

Mas afinal, qual é a diferença entre uns quilinhos a mais e um estado de obesidade para o seu peludo? E como reverter (ou prevenir!) esse problema? Continue lendo para encontrar as respostas!

Os riscos da obesidade nos gatos

Atenção, tutores! Além da carinha rechonchuda e da barriguinha proeminente, a obesidade não tratada nos gatos pode trazer vários problemas de saúde, como mencionamos antes. Um gato obeso pode ter sua expectativa de vida reduzida, correndo o risco de sofrer com:

Diabetes;

Problemas locomotores;

Dores na articulação;

Síndrome respiratória;

Urolitíase — pedra nos rins;

Problemas dermatológicos.

Se notar o excesso de peso no seu amigo, não deixe de marcar uma visita ao veterinário. Mas calma: é possível sim ter um gato gordo que não é obeso – aquela pele “solta” na região abdominal pode fazer felinos domésticos parecerem mais gordinhos.

Vamos te explicar como diferenciar esses casos.

 

Como identificar a obesidade em gatos (e tratá-la!)

É importante clarificar que não existe um peso ideal para todos os gatos – ele vai variar por raça, idade, tamanho, sexo, etc. Se quiser saber qual é a “medida” ideal para o seu, busque um especialista, ok?

E não se engane; apesar de ser mais comum em gatos idosos, a obesidade felina também acomete gatos jovens! Mas como descobrir se o seu amigo realmente tem sobrepeso? 

Caso suspeite que seu bichano está obeso, é fortemente indicado que você o leve ao veterinário – ele poderá confirmar sua suspeita e irá te indicar o que fazer se ela estiver correta!

Mas o corpinho do seu amigo também te dará sinais da obesidade: se o gato estiver mais pesado ao pegar no colo, parecer mais rechonchudo, ou apresentar gordura de sobra para além daquele excesso de pele na barriguinha, estes podem ser sinais de que algo está fora do normal. Em casos de sobrepeso, é comum também que você não consiga sentir as costelas do pet quando fizer carinho nele. 

Outra pista para observar é o comportamento do seu amigo: gatos obesos costumam ficar mais preguiçosos, sedentários e dorminhocos em excesso, além de terem dificuldades para subir escadas ou escalar móveis, e ficarem ofegantes no menor esforço.

Em entrevista para o Patas da Casa, a veterinária Madelon Chicre também indica o uso da tabela de escore corporal. Dá uma olhada:

 

1) Gato muito magro: é possível ver as costelas e os ossos da coluna e da bacia. O gatinho não apresenta nenhuma camada de gordura ou músculo pelo corpo e sua barriga fica para dentro;

2) O gato ainda não apresenta nenhuma camada de gordura ou músculo pelo corpo e continua com a barriga pra dentro. É possível ver as costelas do gato, os ossos da coluna e a cintura;

3) O gato já apresenta um pouco gordura na barriga, ainda que seja possível ver as costelas, ossos da coluna e a cintura;

4) Já não é possível ver as costelas do gato. A barriga ainda não aparece totalmente, apesar de já apresentar um pouquinho de gordura;

5) Esse costuma ser um gato considerado saudável. Não é possível ver as costelas, somente sentí-las. A barriga já não fica totalmente para dentro e o gato apresenta uma camada de gordura na região;

6) Não é possível ver as costelas do gatinho, mas ainda dá para sentí-la. A barriga já está mais redonda e há presença de gordura na barriga e no tronco do animal;

7) Não é possível ver as costelas e há dificuldade em sentí-las. A barriga do gatinho é redonda e com presença de gordura na região e no tronco;

8) Não é possível ver e nem sentir as costelas do felino. A barriga se encontra distendida e há gordura na região, no tronco e nas costas;

9) Gato obeso: Não é possível ver e nem sentir costelas, a barriga está distendida e há gordura em todo o corpo do animal.

Como tratar gato obeso?

Como falamos antes, se suspeitar que seu gato está obeso, é muito importante levá-lo ao veterinário. Ele vai avaliar seu peludo clinicamente, e indicará uma nova dieta e uma rotina de exercícios, além de solicitar exames e indicar medicamentos, caso seja necessário. Nunca trate o seu pet sozinho, ok?

Mas há maneiras de ajudar o seu amigo a perder alguns quilinhos! Essas também são dicas para evitar a obesidade em primeiro lugar.

 

Incentive exercícios físicos

É muito importante ajudar seu gatinho a deixar de ser sedentário. Uma boa opção é utilizar brinquedos, penas, arranhadores e torres para “gatificar” a sua casa, ou seja, ter um ambiente que instigue os instintos de caçador do seu bichano! 

Além disso, não deixe de aproveitar o tempo livre para brincar com ele! Além de promover a atividade física, é uma forma de reforçar o seu vínculo com ele!

 

Alimentação saudável sempre

Com ajuda do veterinário, você poderá encontrar uma dieta balanceada, nutritiva e adequada para o seu peludo. 

Além disso, busque reduzir os petiscos em excesso! E a dica de ouro: tente apresentar o seu gato à alimentação natural, uma dieta cheia de benefícios, com tudo que ele precisa para viver com mais saúde!

 

Conheça o cardápio da Pet Delícia!

Quer conhecer as receitas mais saborosas, nutritivas e saudáveis para manter o seu gatinho em forma e de bem com a vida? Dá uma olhada nas receitas naturais da Pet Delícia! Aqui nós selecionamos os melhores ingredientes, balanceando tudo na medida certa para evitar o excesso de peso no seu gato, entre outros problemas.

Uma boa pedida é a nossa receita de Frango com mamão, que além de extremamente leve e saborosa, é indicada para os felinos que necessitam de controle de peso e gordura corporal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *