A obesidade nos pets e como preveni-la

Mais do que nunca sabemos que com saúde não se brinca, pelo contrário, ela deve ser levada muito a sério. E se a regra para nós humanos é essa, não poderia ser diferente para os nossos companheiros pets! A obesidade é um problema de saúde comum, sendo a principal doença nutricional em pets no Brasil, segundo estudos da Universidade de São Paulo, em 2019.

Fazer com que o seu amigo de 4 patas tenha e mantenha o peso ideal não é apenas questão estética, e sim de saúde. Por isso, é importante se atentar à rotina do seu cão ou gato e fazer as melhores escolhas para ele, estabelecendo uma dieta composta por refeições balanceadas.

 

Obesidade nos pets

Ninguém resiste a uma carinha fofa pedindo um petisco, isso é fato. Mas uma alimentação pouco rica em nutrientes e em quantidades excessivas levará seu animalzinho à obesidade, que pode gerar graves consequências, como o desenvolvimento de diabetes, artroses, dermatites não alérgicas, problemas psicológicos e até redução da qualidade e expectativa de vida do seu bichinho.

Tipicamente oferecida aos pets, a ração é densa em calorias e normalmente servida em quantidades maiores que o necessário, isso quando ela não fica disponível o dia inteiro no potinho. Também é comum que agrados e petiscos sejam dados sem controle, e todo esse comportamento pode resultar em sobrepeso e obesidade.

O parâmetro mais utilizado para entregar diagnósticos de obesidade é o Escore de Condição Corporal. O ECC é um método e inspeção e palpação da camada de gordura corporal que conta com uma escala numérica de 1 a 5, sendo que 1 demonstra que o cão ou gato está magro, 3 com o peso adequado e 5 obeso. Nesse exame é analisada a gordura presente nas costelas, abdômen, cauda e regiões de proeminência óssea dos pets. 

Segundo o Cachorro Verde, esse é um método confiável, mas que pode enganar dependendo do formato corporal do animal. Para ter certeza de que seu melhor amigo está com o peso ideal ou propenso à obesidade é necessário levá-lo a um veterinário. 

O acompanhamento profissional é essencial para estabelecer uma rotina saudável para o seu cão ou gato, mas alguns sinais podem te ajudar a perceber que é hora dele receber um tratamento especial, como por exemplo:

  • Cansar-se facilmente ao andar ou correr;
  • Ter dificuldade para levantar ou se locomover;
  • Respirar com dificuldade;
  • Sedentarismo.

Melhor do que tratar a obesidade nos pets, é preveni-la. Em outro post, apontamos alguns dos alimentos que são proibidos para os pets. Uma alimentação 100% natural misturada a alguns aliados podem ser a fórmula de sucesso para que você passe mais tempo ao lado do seu pet.

 

Os 3 pilares da saúde animal

Cuidar do bem-estar dos nossos cachorros não é muito diferente de cuidar da gente, mas para que eles mantenham uma boa saúde é necessário que a nossa atenção esteja voltada para 3 pilares principais: exercícios, quantidade e qualidade de comida oferecida diariamente.

 

 

A quantidade de comida

        Cada animal é único, e assim deve ser pensada sua alimentação. A maioria dos pets não sabem quando estão satisfeitos e podem acabar ingerindo muito mais do que precisam, sendo assim, é importante controlar as porções de comida e os petiscos que são servidos a eles. Sobre isso, Mariana Porsani, autora do estudo sobre obesidade canina feito na USP em 2019, aponta “No cálculo, a gente pode colocar até 10% como petiscos. Então, além da ração, ele pode comer o bifinho ou o ossinho, contanto que seja incluído no cálculo.”

Para dar mais saciedade e hidratação ao seu animal, a dica da Pet Delícia é que você introduza um alimento úmido junto a ração seca, dessa forma seu bichinho demora mais para sentir fome e fica muito mais saudável. Essa prática melhora o sabor do prato e estimula o pet a comer na hora, sem deixar comida sobrando no pratinho o dia inteiro, facilitando que o tutor identifique quanto o pet come a cada refeição.

Dividir as refeições diárias em duas doses costuma ser o ideal para adultos, mas vários fatores influenciam a quantidade correta a ser oferecida, são eles: peso ideal, idade, atividade física, castração, metabolismo, entre outros. Para isso, a Pet Delícia criou uma calculadora que te auxilia a ver quanto de Pet Delícia é indicada para o seu melhor amigo, confira: Calculadora Pet Delícia.

Além disso, é importante sempre consultar um profissional e ler no rótulo dos produtos quais são as indicações na hora de servir a ração!

 

A qualidade do alimento

Ao escolher os ingredientes que irão compor a sua alimentação você seleciona somente os melhores produtos, aqueles que te farão se sentir nutrido e saudável, certo? Se você deseja que seu companheiro de 4 patas ainda passe muito tempo ao seu lado, o processo de escolha do alimento dele não pode ser diferente.

A ração seca, normalmente oferecida aos pets como único alimento, tem alta participação de carboidratos e cereais, com baixo teor e qualidade de carne e muitos conservantes artificiais, corantes e palatabilizantes. Entre elas, prefira as que usam proteínas nobres e carboidratos com moderação, sendo eles complexos e ricos em fibras, como as que são vegetais e a de aveia. Outro ponto importante que deve ser levado em consideração na hora de escolher a ração ou o alimento natural do seu pet, é a presença de transgênicos como a soja, o milho e o trigo, que devem ficar fora do potinho do seu cão ou gato o máximo possível!

Complementar a dieta com um alimento balanceado úmido é uma opção, mas é interessante saber que uma refeição natural úmida possui ingredientes selecionados e 75% de umidade, sendo fonte de proteínas nobres e gorduras de alta qualidade, inclusive ômega 3, 6 e 9, fibras, prebióticos e antioxidantes, o que é ideal para oferecer nutrientes ao seu bichinho e manter uma rotina saudável sem exagero nas calorias.  

 

O alimento natural úmido passa por um processo delicado de cozimento que ajuda a preservar o máximo de nutrientes na receita, como a vitamina D, essencial para a saúde corporal do seu pet. Algumas dietas com menos calorias combinam proteínas com frutas, como é o caso da nossa receita de frango com maçã light para cães, que também conta com a ação do chá verde. Como opção pouco calórica para os felinos, sugerimos a receita de frango com mamão.

Alguns ingredientes específicos e termogênicos como o chá verde, citado anteriormente, a cúrcuma e o gengibre ajudam o metabolismo do pet a transformar as calorias consumidas em energia, além de regular o intestino e combater a retenção de líquidos no organismo. A ação metabólica desses elementos ajuda no emagrecimento, já que faz com que eles queimem mais calorias ao longo do dia, e pode ser muito benéfica para dieta de quem precisa perder uns quilinhos.

 

Exercícios

Naturalmente ativos e brincalhões, é fácil atrair os cães, e até gatos, para uma rotina de exercícios e brincadeiras, que devem ser feitas pelo menos 2 vezes ao dia, com duração de 30 minutos a 1 hora, respeitando as capacidades individuais dos pets. Lembre-se: por mais animados que sejam, eles também precisam de descanso e alguns goles de água.

         

Um passeio diário no quarteirão é sempre bem-visto pelos cachorros, mas dependendo do porte do animal e do ambiente onde ele vive, são necessárias atividades com maior intensidade e duração para ele gaste toda a sua energia. Alguns brinquedos, desenvolvidos especialmente para pets com problema de peso, associam atividade física e alimentação, proporcionando um comer mais lento e recreativo.

Torne este um momento de alegria para o seu pet, mas também um tempo de qualidade entre você e ele! A dica da Pet Delícia é definir um horário específico para brincar com o seu amigo de 4 patas, assim você condiciona os níveis de energia do seu bichinho, que estarão maiores, e ele aprende qual a melhor hora de se divertir com você.

 

Acompanhando os resultados

Dado o diagnóstico de ECC (Escore de Condição Corporal), é de extrema importância descobrir que condições levaram o pet a obter aquele resultado, e a partir disso entrar em ação com uma dieta balanceada e rotina de exercícios.

                                                                            

O acompanhamento da saúde do seu peludinho pode ser feito semanalmente com o auxílio de um caderno ou bloco de notas. Junte as informações da dieta e vá anotando o peso do seu pet com o decorrer das semanas. De acordo com o Cachorro Verde, é normal que eles percam mais calorias no início: “Uma boa perda de peso é aquela na faixa de 1 a 2% por semana, 4 a 8% por mês. Nesse ritmo, um cão com Escore de Condição Corporal (ECC) 4 pode levar de até 3 ou 4 meses para atingir o Escore 3 (ideal)”, citam.

Observe as mudanças mensalmente, pois independente do regime ou indicação, muitos fatores individuais influenciam a perda de peso do pet. Não deixe de compartilhar os dados com um veterinário! Ele pode te ajudar a ajustar e encontrar o equilíbrio entre os 3 pilares da saúde animal.

 

Então agora você já sabe! Se quiser que seu cachorro fique com o peso ideal, mais saudável e feliz, é só começar por uma refeição balanceada de qualidade e uma rotina de exercícios. Isso garante mais tempo para vocês aproveitarem a vida juntos, se divertindo e criando momentos únicos!

Comments

  1. Que o preço da latinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *